domingo, 14 de março de 2010

SCRATCH

Feito pela Mariana e pelo Francisco
Scratch Project

terça-feira, 9 de março de 2010

PEÇA DE TEATRO- Implantação da República

Já temos as falas e os personagens para o teatro:
Luís:-Boa tarde! Sejam bem-vindos ao tele 5 de Outubro. Hoje temos como notícia de abertura a invasão de uma multidão ao pátio da Câmara Municipal de Lisboa.
Daniel:-Esta multidão parece descontente com a monarquia. O nosso repórter já lá está em directo.
Para o repórter:-João, como está aí a situação?
João:-Neste momento as pessoas já acalmaram um bocado, pois, quando aqui cheguei vi cinco padiolas, dez guardas no chão e, segundo as informações que obtive, três já estão no hospital, em coma. Vamos falar aqui com um cidadão (aproxima-se dele).
-Boa tarde, pode explicar-me por que razão se encontra aqui?
Brian:-Isto é assim. Nós estamos aqui porque sentimo-nos muito descontentes com a maneira de governar o nosso país, ou seja, com a monarquia.
João:-E o que pensam fazer para mudar isso?
Brian:-Vamos implantar uma nova forma de governar, a República.
João: -Como é que essa nova maneira de governar, a República, vai funcionar?
Brian:-Na República os cidadãos é que escolhem o seu presidente que governa durante um período limitado, ou seja, tem um prazo para governar.
João:-E já há candidatos?
Brian:-Sim.Não devem faltar.
João:-Quantos? Podemos saber?
Brian:-Lamento mas ainda não posso revelar o número de candidatos.
João:-Então parece que ficamos por aqui. Passo aí então para o estúdio.
Luís:-Obrigado, João. Agora vamos em directo para o Palácio onde está a nossa repórter, que vai esmiuçar o nosso rei sobre o que aconteceu esta tarde junto à Câmara Municipal.
Ana Maria:-Exactamente. Mas parece que vou ter de falar primeiro com um dos seus guardas. (dirige-se ao guarda).-Diga-me podemos falar com o rei?
Paulo:-Lamento, mas não.
Ana Maria:-Porquê?
Paulo:-Porque… o rei… o rei desapareceu.
Ana Maria:-A sério?
Paulo:-Sim…
Ana Maria:-Bem parece que não posso fazer mais nada. Passo então a emissão aí ao estúdio.
Daniel:-Muito obrigado, Ana. Então parece que temos um desaparecimento. E todos, neste momento, fazem a mesma pergunta: onde está Faísca?
Luís:-Não é o Faísca. É o Rei!
Daniel:-Ah! Pois. Peço desculpa. Afinal onde está o rei?
Luís:-Enquanto não sabemos onde está o rei decidimos abrir uma rubrica em que as pessoas ligam para nós a dizer se viram o rei. E já temos uma chamada. Estou?
Rita:-Estou sim? Fala da Pizza Hut? Queria encomendar duas pizzas, uma normal com duplo queijo e uma bacon cheese burguer, ok?
Luís:-Desculpe, mas não é da Pizza Hut. É do Tele 5 de Outubro.
Rita:-Ai não é da Pizza Hut? Então, desculpe lá. Chau (tú tú tú)
Daniel:-E depois deste engano temos um segundo telefonema. Estou sim muito boa tarde?
Filipa:-Tou? Fala do Tele 5 de Outubro? Sr. Daniel, sabe,gosto muito de si e do seu amigo que já não me lembro do nome. Mas não foi isso que me trouxe aqui. Sabe, tenho informações sobre o rei. O meu marido trabalha no estreito de Gibraltar e esta manhã viu o rei. Foi em Marrocos que o rei e os seus guardas aportaram. Ele ouviu-os dizer que o rei ia lá ficar até amanhã e depois partiria para a Inglaterra. E é tudo o que sei, meu querido.
Daniel:-Muito obrigado, pela feliz notícia. Os telespectadores podem achar estranho mas já temos os nossos repórteres no local onde se encontra o rei. Sabem, a nossa tecnologia é muito avançada.
Luís: (voltando-se para os repórteres) -Digam-me, por favor, que o rei não fugiu outra vez, senão os nossos telespectadores vão pensar que estamos a gozar com eles!
Ana Maria:-Está descansado que, o rei desta vez não escapou. Vamos então tentar falar com ele já que se encontra rodeado pelos seus guardas. Sua Majestade, sua Majestade, estamos em directo para o Tele 5 de Outubro. Pode dizer-nos qual o motivo do seu desaparecimento?
Francisco:-Sim, posso. Após a morte do meu pai e do meu irmão, eu fui eleito rei, mas não estava preparado para exercer tal cargo. Depois, o meu conselheiro disse-me que era melhor sair do país. Quando estava aqui, apareceram uns homens que me levaram para um sítio escuro onde outro homem me disse que eu ia ser exilado na Inglaterra.
Ana Maria:-Mas isso é mau,não é?
Francisco:-Isto é péssimo! Hoje é o meu último dia em liberdade. (quase a chorar)
Ana Maria:-E há mais alguma coisa que nos quer dizer?
Francisco:-Podem ir visitar-me a Inglaterra? Eu dou-vos a morada e tudo…
Ana Maria:-Não, não, obrigada. Dispenso. (para a câmara) Então, é tudo por aqui. Passo a emissão para o estúdio.
Daniel:-Obrigado, Ana. E, agora, vamos em directo, novamente para o pátio da Câmara Municipal. João, o que é que se passa aí?
João:-Isso é o que eu estou a tentar descobrir. Olhe você, sim você. (aproximando-se da Catarina) Pode dizer-me porque é que está toda a gente tão exaltada?
Catarina:-Nós estamos assim porque já sabemos que o rei vai ser exilado e, por isso, vamos eleger um presidente.
João:-E quantos são os candidatos?
Catarina:-Três.
João:-E quem são?
Catarina:-São aqueles três homens altos, ali à frente, a falar com os mais baixos. Está a vê-los?
João:-Sim, estou.
Catarina:-Chiu, não faça barulho. Estão a anunciar os resultados.
(passado pouco tempo…)
João:-E então? Quem é que ganhou?
Catarina:-Aquele que está com um sorriso na cara e que está a felicitar toda a gente. Está a vê-lo?
João:-Sim. (voltando-se para a câmara) E por aqui é tudo. Passo a emissão para aí o estúdio.
Luís:-Obrigado, João. E por aqui também é tudo. Não há mais nada para dizer, pois não Daniel?
Daniel:-Não. (pensativo) Ah! Mas nunca se esqueçam de ver o nosso programa onde as histórias são sempre em segunda mão, verdadeiras e actualizadas. Até à próxima, caros telespectadores.
Luís:-Até à próxima emissão.

Agora falta o resto...

PAPEL MACHÊ

Também da autoria da Ana Isabel Silva

BERNARDINO MACHADO

Biografia de BERNARDINO MACHADO
Autora:
Ana Isabel Silva

sábado, 6 de março de 2010

PAPEL MACHÊ

AQUI ESTÁ O TRABALHO DA
ANA FILIPA OLIVEIRA
O que é Papel Machê?-
Papel machê (palavra originada do francês papier mâché, que significa papel picado, amassado e esmagado), é uma massa feita com papel picado ensopado na água, coado e depois misturado com cola e gesso A técnica de Papel Machê permite moldar objectos em diferentes formatos, utilitários e decorativos.
A massa deve ser usada no máximo de um dia para outro mas guardada.

Receita: machê (receita 01)
• 1/4 de rolo de papel higiénico
• Farinha de trigo
• Gesso em partes iguais a da farinha de trigo
• Cola fria


Cortar o papel em pedaços bem pequenos e deixá-los de molho em bastante água durante a noite. Ferve-los na mesma água, durante uma hora. Para obter melhor qualidade no trabalho, é importante que o papel fique completamente desmanchado. Em seguida coar o papel num pano, até tirar toda a água. Coar de cada vez quantidades que se possa espremer facilmente com as mãos e não misturar esses "bolos" entre si. Depois de espremido todo o papel, acrescenta-se o gesso e a farinha de trigo, previamente misturados. A proporção para a massa é de uma colher de sopa cheia da mistura farinha-gesso e uma colher de sopa de cola fria, para cada "bolo" de papel. Amassar bem, até obter uma pasta homogénea. Se estiver muito seca pode-se esfarinhar. Neste caso, acrescenta-se água aos pouquinhos, até se obter o ponto em que possa-se trabalhar a massa. Se a água começar a escorrer entre os dedos, é porque se colocou quantidade excessiva. Neste caso, acrescenta-se um pouco mais de gesso. Não preparar quantidade maior de massa do que aquela que se pretende usar, pois uma vez seco o gesso, não será possível aproveitar a massa. Se desejar fazer escultura com esse material, não usar gesso, ao preparar a mistura. Fazer apenas com o papel, farinha e cola fria, na proporção indicada anteriormente.


Papel machê (receita 02)
• Jornais
• Cola fria
• Recipiente


Rasgue o jornal em pedaços não muito grandes e coloque-os num recipiente. Derrame sobre eles água quente a fim de molhá-los bem. Deixe o papel amolecendo por 10 a 12 horas (uma noite), no mínimo. Esprema com força a massa entre as mãos a fim de retirar toda a água; recoloque as bolas formadas no recipiente. Adicione a cola e forme uma massa, de preferência, compacta; trabalhe-a bem com as mãos e ela está pronta para ser usada

PARABÉNS ANA

quarta-feira, 3 de março de 2010